Como Brumadinho inspirou um projeto que une Arte & Solidariedade.

Como Brumadinho inspirou um projeto que une Arte & Solidariedade.

25 Fevereiro, 2019 1 Por Isaac Moraes

Se você acompanha minhas postagens no instagram (@isaacmoraes_art) notou que nos últimos dias começaram a surgir retratos marrons na tela. Eles vieram de uma origem inesperada da qual vou contar em detalhes nesse artigo.


Reflita nessa história.



2019, 25 de janeiro, tudo para ser outra normal sexta-feira na região metropolitana de Belo-Horizonte. Mas uma infeliz surpresa mudou por completo o final de semana daquela cidade. Uma avalanche de lama colocou Brumadinho nos noticiários de todo mundo. Os moradores receberam no peito, muitos com suas vidas o peso do erro humano.

Uma barragem de minério se rompeu, gerando um enorme deslizamento de lama atingindo moradores, agricultores daquela cidade.

A notícia percorreu rapidamente o planeta. Imagens e depoimentos de pessoas atingidas se espalharam por todos os cantos produzindo ações de compaixão e solidariedade. Você provavelmente se compadeceu com o acontecido. Comigo não foi diferente.

Lembro que essa mensagem chegou forte pra mim no domingo 27, pela manhã, larguei tudo que havia planejado e fui até o ponto de coleta mais próximo entregar galões de água para ser enviados BH. Ainda chocado com tudo, parei em um banco e fiquei observando imagens das vítimas, bombeiros cumprindo seu papel em socorrer, mulheres soterradas no barro, animais isolados, parecia cenas de um lamentável filme.

Foi então que após uma profunda meditação no parque sentado na grama brotou a ideia de desenhar pessoas utilizando como tinta o próprio barro. Retratos simples, expressivos, mostrando que somos iguais perante aos desafios dessa terra. Logo veio o nome do projeto, Dopó Daterra. O propósito desse movimento é unir Arte & Solidariedade de maneira bem objetiva onde metade dos investimentos para execução dos retratos são direcionados a uma iniciativa solidária escolhida naquele mês. O acontecido em Brumadinho serviu para refletir sobre como somos frágeis aos acontecimentos dessa vida. E quão importante são as equipes de socorro, movimentos humanitários que estão disponíveis para ajudar em momentos como esses. De bombeiros a socorristas, instituições solidárias a moradores locais, todos tiveram e continuam tendo seu valor.

processo da pintura com terra

Na bio do perfil no instagram (@dopodaterra) colocamos dois medidores. O primeiro com os valores doados e o segundo com o tempo de pintura. Nesses dois parâmetros encontramos o equilíbrio desse projeto que usa a Arte como um mecanismo solidário e vice-versa.

Retrato que doou para o projeto: Rachel

Você pode encomendar seu retrato e ajudar nessa causa clicando nesse link.
—Participe do projeto clicando aqui —


A Arte sempre foi um meio de expressão dos sentimentos mais profundos da alma. Sendo portanto uma mensagem que transcende a matéria. De fato uma necessidade humana diária, um mantra, uma oração. Muitas manifestações artísticas surgiram por todo país em torno do acontecido em Brumadinho. Veja o poema que essa garotinha escreveu para os bombeiros que trabalharam no rompimento da barragem.


E se você gosta de desenhar mas encontra dificuldades em evoluir seu traço recomendo que leia esse outro artigo. –Click aqui–

Helena Silva, 10 anos com seu poema.

Nesse vídeo os bombeiros recitando o poema recebido com carinho.

https://www.youtube.com/watch?v=Y75WVHOJW-0

Não consigo imaginar um mundo sem Arte, também não consigo vê-lo sem pessoas.



Conheça o projeto Dopó Daterra, visite nossa galeria de retratos no intagram (@dopodaterra) em breve teremos mais artistas aderindo a essa iniciativa. Na descrição de cada retrato abrimos espaço para recitar uma poesia, trechos de uma música ou até mesmo simples palavras de esperança.


E você pode começar esse apoio deixando sua mensagem aqui nos comentários desse artigo 😉


Grande abraço e nos vemos por aí.